FAMÍLIA LENTO

Mãe Tânia, Pai Hugo
Filho Tomás 

“Há um epicentro muito próprio nas nossas vidas.” Incrível. É a primeira palavra e a última que nos passa pela cabeça, enquanto o pequeno Tomás se despede de nós a mandar um beijinho com a palma da mão aberta e um sorriso que é todo charme. O Tomás está prestes a fazer 4 anos, foi operado com apenas uma semana e meia de vida ao coração e superou todos os prognósticos e expectativas. Não há uma grama de medo nas palavras destes pais, não vale a pena vasculhar, porque não existe, O que existe é um sorriso a traçar a cara e um orgulho desmedido pelo menino touro, que só não sai já para votar porque diriam que ainda é pequenino. Da Casa levam tatuada a mão e os amigos. Ainda hoje, trocam e-mails e enviam fotografias. “Cria-se muita cumplicidade na dificuldade.”
O Tomás não pára quieto, ora sobe, ora desce, ora fala, ora dança, não dá nem para adivinhar que esteve 10 meses internado nos Cuidados Intensivos. O pai confirma que o Tomás nasceu ligado à corrente enquanto corre para o segurar, “não se fez valente, nasceu valente”, eu acrescento sedutor, porque o Tomás é um daqueles miúdos que faz as vezes da luz na escuridão.

Foto e texto by Isabel Saldanha