FAMÍLIA MARQUES JOÃO

Mãe Ana, Pai Henrique
Filhos Daniel e Catarina 

A Catarina salvou a vida ao irmão de apenas 3 meses, ao doar-lhe a medula óssea quando tinha quatro anos e meio. Os pais perguntaram-lhe se estaria disponível para fazer a operação e a Catarina disse que sim. “Eu vou salvar o mano” disse. E salvou mesmo. Hoje estão livres de perigo, mas recordam com carinho os dias passados na Casa longe de casa. “São meses que parecem anos, são estranhos que ficam irmãos.” A generosidade coseu esta família, parecem ligados por fios invisíveis, apenas denunciados nas parecenças dos traços e nos abraços continuados entre os irmãos. Muita poeira se sacode no amor com que se conta esta história. O Daniel é o fruto perfeito de uma batalha ganha. “Agora sim, já podemos voltar ao ciclo da normalidade.” Talvez o Daniel nunca pressinta ou talvez sinta desde sempre que não há nada mais valioso que a doação de um pedaço de vida. E nada menos falível que o amor da sua família.

Foto e texto by Isabel Saldanha