FAMÍLIA MESTRE

Mãe Ana, Pai Pedro
Filho António

Eram para ficar 3 dias e ficaram 3 meses. São do Redondo, não parecendo longe é longe o suficiente para quem deixa a casa para trás. Durante esse período a Ana só regressou duas vezes a casa. “O nosso coração tem de estar, onde está o nosso coração.” Conta, que um casal de Borba que conheceram quando tinham o filho no hospital D. Estefânia, tornou-se um suporte para eles. Enquanto aqui moravam as amigas fizeram um jantar surpresa nos anos da Ana e vieram conhecer a Casa. “Exactamente como se fossem a nossa casa.” Já estão no Redondo novamente, mas quando regressam a Lisboa para as consultas, trazem sempre um mimo para as famílias que aqui estão. O António ainda requer muito acompanhamento, mas é o miúdo mais fotogénico que existe. E o sorriso é tão grande que não tem como não termos a ambição de encaixar dentro dele.

Foto e texto by Isabel Saldanha